Testes

Suzuki GSX-R 750 1990

O modelo mais famoso da marca de Hamamatsu mudou para sempre a história da moto desportiva desde a sua apresentação no Salão de Colónia em 1984. Esta unidade pertence à segunda geração (1988-1991) e serviu de base para a moto que se estreou no então recém criado Campeonato do Mundo de Superbike.

Yamaha FJR 1300 AE

Realizar longas tiradas de moto não tem que ter uma “seca” ou um martírio, pode na realidade ser bastante gratificante. Desde 2001 que a Yamaha tem mostrado isso, através de uma moto confortável mas bem divertida de utilizar; e agora que chegámos a 2016 é altura de mais uma renovação, com a FJR 1300 AE pronta para muitos mais quilómetros de prazer.

Harley-Davidson Road King

Por mais que os anos passem, existem motos que irão manter a sua presença estética, sem muitas alterações. A Harley-Davidson Road King é uma delas, que tem camufladas as melhorias técnicas necessárias dos novos tempos. Mas no fundo tem a mesma filosofia de sempre, já que aqui, a idade ainda é um posto.

Honda NC750X DCT/Integra

A famosa utilitária da Honda recebeu este ano na sua versão X um estilo mais aventureiro e uma série de melhorias que a tornam numa moto mais moderna e apetecível. Fomos conhecê-la na versão DCT – sistema que foi também melhorado – e no mesmo dia rodámos igualmente com a Integra, a “scooter-moto” que foi também revista para este ano. Motos versáteis e que se adaptam que nem uma luva, em especial, aos que dão os primeiros passos nas duas rodas.

Triumph Speed Triple R ’16

A Triumph atualizou a sua naked de referência, retocando o seu desenho e dando uma profunda revisão nos três cilindros, acrescentando uma boa dose de eletrónica para torná-la mais segura em estrada e eficiente em circuito. A nova versão S e a R são mais parecidas que nunca e diferenciam-se, essencialmente, nas suspensões e em detalhes de acabamento. Rebeldia em estado puro.

Ducati Xdiavel S

A Ducati entra em força no segmento cruiser com um imponente modelo em termos estéticos, e carregado de tecnologia e prestações. A denominação XDiavel junta a condução relaxada com os poisa-pés adiantados, típica de uma custom, com a adrenalina e a intensidade de uma condução desportiva, típicas da Ducati. Dois universos diferentes, na mesma moto.

Buell 1125R

Se em Itália sempre houve uma longa tradição de motos super-desportivas de dois cilindros, por que não fazer algo para enfrentá-las? Moto de nicho, a 1125R e a sua versão naked (CR) foram os últimos produtos do carismático fabricante norte-americano Buell, sob a alçada da Harley-Davidson, antes da marca fechar portas.

Scrambler Ducati Sixty2

O último membro da família Scrambler, a Sixty2, é uma moto pensada e desenhada para condutores com a carta A2, perfeita para uma iniciação ao mundo das duas rodas. O seu objetivo é claro: converter-se como a sua irmã maior (de 803 cc) numa campeã de vendas, e qualidades não lhe faltam.

Suzuki GSR 750 Z

A versão mais recente do modelo mantém intacta a nobreza, efetividade e bom rendimento que torna esta moto num produto sólido, fiável e funcional desde o seu lançamento em 2011. Esta variante ‘sport’ com a decoração de corrida das desportivas da marca é essa fiel amiga em quem confiar.

BMW R 1200 RS

Máquina poderosa mas essencialmente versátil, esta boxer está apta a todos os usos. E beneficia de uma longa tradição da marca neste segmento, pelo que esta RS é uma moto totalmente reformulada das versões anteriores.